domingo, 19 de dezembro de 2010

Ele não responde.  Joga o casaco sobre meus ombros e me aperta nos seus braços. 
Ele me beija na testa e uma lágrima rola na minha face,  seguida da outra. 
Não consigo mais me segurar,  é o excesso de emoções contraditórias que ferviam dentro de mim e que transborda sem que eu possa fazer alguma coisa. 
Vivi demais, cedo demais e por demais solitária, eu não mereço que cuidem de mim. 
Fico sem entender, não preciso de ninguém. (Lolita Pille)